Ofício da Palavra com Rubens Figueiredo

0 Comentários

12/11/2013 às 15:33

O escritor e tradutor Rubens Figueiredo coleciona premiações literárias importantes: nos últimos 15 anos, foi vencedor de dois Jabuti, além de ter recebido os prêmios São Paulo e Portugal Telecom de 2011 por seu romance mais recente, Passageiro do Fim do Dia. Como um dos principais tradutores brasileiros, especialmente da língua russa para o português, foi responsável por mais de oitenta publicações desse tipo, como a primeira do clássico Guerra e Paz, de Tolstói, e Ressurreição, do mesmo autor, pela qual Rubens ganhou o Prêmio Literário da Fundação Biblioteca Nacional de 2010.

 

Na próxima semana, ele vem conversar com o público de Belo Horizonte sobre seu trabalho e discutir a arte da escrita, como convidado da 62ª edição do Ofício da Palavra. No encontro, Rubens Figueiredo também fala da força da literatura como possibilidade de crítica social, busca do autor em suas obras. Professor de português e de tradução literária, ele conversa, ainda, sobre características linguísticas, e explica como os trabalhos de romancista e tradutor se influenciam. O Ofício da Palavra com Rubens Figueiredo é no dia 19 de novembro, terça-feira, às 19h30 no Museu de Artes e Ofícios. A entrada é franca.

 

Rubens Figueiredo

 

Nascido no Rio de Janeiro em 1956, Rubens Figueiredo se formou em português-russo pela Faculdade de Letras da UFRJ. Além de escritor e tradutor, é também professor de português do ensino médio, carreira que segue há 29 anos, sendo 25 deles dedicados a um colégio da Cidade de Deus.

 

Estreou na literatura com o romance O Mistério da Samambaia Bailarina (Record, 1986). As Palavras Secretas (Companhia das Letras, 1998) foi vencedor do Prêmio Jabuti 1999 de Melhor Livro de Conto e Crônica. Em 2002, o escritor recebeu o mesmo prêmio, desta vez na categoria Melhor Romance, por Barco a Seco (Companhia das Letras, 2001).

 

Passageiro do Fim do Dia (Companhia das Letras, 2010) é a obra ficcional mais recente de Rubens Figueiredo, título ganhador dos dois maiores prêmios literários do país. A narrativa parte de uma situação cotidiana, um percurso de ônibus, para refletir sobre a desigualdade social, e os mecanismos por meio dos quais as pessoas enxergam esse cenário.

 

Em entrevista sobre o livro para o jornal O Globo em 2011, o escritor explica que busca romper com visões como a de que as classes sociais são algo natural ou imutável. “Uma das coisas relevantes que a literatura pode fazer é tentar questionar ou suspender pressupostos desse tipo. Oferecer ao observador a possibilidade de experimentar, de vivenciar na imaginação, outra perspectiva”, afirma ele.

 

Como tradutor, Rubens Figueiredo é responsável por passar para o português vários clássicos da literatura russa, trabalhos de escritores como Tchékhov e Tolstói, e também de autores ingleses como Susan Sontag, Philip Roth e Paul Auster.

 

O projeto Ofício da Palavra tem o patrocínio da Petrobrás e para a manutenção de suas atividades, o Museu de Artes e Ofícios conta com o patrocínio máster da Oi, o patrocínio do Itaú e Cemig/Governo de Minas e o apoio do Instituto Oi Futuro, Hospital Mater Dei, CBMM, CBTU e Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, e com os benefícios das Leis Federal, Estadual e Municipal de Incentivo à Cultura.

 

SERVIÇO

Ofício da Palavra com Rubens Figueiredo

Local: Museu de Artes e Ofícios – Praça da Estação

Data: 19 de novembro, terça-feira, 19h30

Entrada franca

 

Assessoria de imprensa e comunicação

Conceito Comunicação Estratégica

Helen Murta

(31) 3225-1888

conceito@conceitocomunicacao.com.br

Rua Alagoas, 1314, sala 408 – Savassi – BH