Ofício da Palavra com Angélica Freitas

0 Comentários

11/10/2013 às 14:18

Angélica Freitas é a convidada do projeto no Museu de Artes e Ofícios

Expoente da poesia contemporânea e uma das mais reverenciadas autoras de sua geração, Angélica Freitas participa da 61ª edição do projeto Ofício da Palavra. Aos 39 anos, a gaúcha, que já lançou dois livros de poemas, além de um romance gráfico, tem seu trabalho reconhecido por premiações e pela crítica especializada, tendo sido eleita “escritora do ano 2012” pelo jornal Folha de S. Paulo. Um útero é do tamanho de um punho, obra de 2012, vendeu três mil cópias em menos de dois meses e foi escolhido o Melhor Livro de Poesia deste ano pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA). O livro também é um dos quatro finalistas do Prêmio Portugal Telecom 2013 na categoria poesia.

No Ofício da Palavra, Angélica Freitas conversa com o público sobre seus trabalhos mais recentes e o universo feminino explorado neles, a influência da cultura pop em sua poesia e, ainda, discute a importância da internet como ferramenta de divulgação e construção do seu trabalho. O encontro é no dia 29 de outubro, terça-feira, às 19h30 no Museu de Artes e Ofícios. A entrada é franca.

Angélica Freitas

Nascida em Pelotas, Rio Grande do Sul, em 1973, Angélica Freitas estudou jornalismo em Porto Alegre, na UFRGS, e trabalhou como repórter no O Estado de S. Paulo e na revista Informática Hoje, em São Paulo. Em 2006, abandonou a carreira de jornalista para se dedicar completamente à poesia.

A relação de Angélica com a literatura teve início bem mais cedo. Ela ainda era criança quando começou a experimentar versos, redigidos na máquina de escrever de seu pai. Mais tarde, criou o blog Tome uma xícara de chá e, nele, publicou seus poemas por muitos anos.

Não por acaso, a internet se tornou um elemento essencial no trabalho da autora, servindo como ferramenta de divulgação, pesquisa e contato com outros poetas, além de possibilitar experimentações que nem sempre têm espaço nos veículos impressos. Além disso, a web ainda é fonte de inspiração, como na série 3 poemas com auxílio do google, do livro Um útero é do tamanho de um punho (Cosac Naify, 2012), em que o uso da ferramenta de buscas online fez parte do processo de criação dos textos.

Seus poemas foram reunidos em livro, pela primeira vez, em uma antologia de poesia brasileira contemporânea publicada em 2006, na Argentina. Intitulada Cuatro poetas recientes del Brasil, foi lançada pela editora Black & Vermelho, organizada e traduzida pelo poeta e crítico argentino Cristian De Nápoli.

Os versos simples e a linguagem coloquial caracterizam a poesia de Angélica Freitas, que possui influências da cultura pop, mas também dialoga com autores consagrados da literatura mundial. A junção do erudito com o popular se revela já no título de Rilke Shake (Cosac Naify, 2007), que une o poeta alemão Rainer Maria Rilke e a bebida milk shake. Esse jogo com as palavras permeia toda a obra, composta por versos curtos, sonoros e sofisticados.

Em seu segundo livro, Um útero é do tamanho de um punho, lançado com recursos do programa Petrobrás Cultural, Angélica fala sobre a mulher com ironia e bom-humor, desafiando convenções arraigadas na nossa sociedade quando se trata do papel feminino. Escrito a partir de experiências da autora, o livro compartilha inquietações, angústias e reflexões sem, no entanto, ser engajado, mas subvertendo preconceitos ao trazê-los à tona de maneira leve e cômica.

Sua publicação mais recente, Guadalupe (Companhia das Letras, 2012), é um romance gráfico criado em parceria com o quadrinista gaúcho Odyr. Questionamentos sobre a visão da sociedade em relação à mulher também aparecem, de forma sutil, no enredo e nas características das personagens centrais – a protagonista Guadalupe; sua avó, uma motoqueira de espírito livre; e seu tio, um travesti aposentado que possui o sebo Minerva Livros.

Angélica Freitas tem textos publicados em revistas impressas e eletrônicas de vários países, como Argentina, Portugal, Alemanha e Estados Unidos. As obras também foram lançadas na Espanha, México, Alemanha e França. Em 2008, a autora representou o Brasil no Festival de Poesia de Berlim (Poesiefestival Berlin).

A convidada do Ofício da Palavra já editou diversas publicações de poesia e, hoje, é coeditora, com os poetas Fabiano Calixto, Marília Garcia e Ricardo Domeneck, da revista de poesia Modo de Usar & Co.. Nesta, traduziu o trabalho de poetisas hispano-americanas como Blanca Varela, Susana Thénon e Lucía Bianco.

SERVIÇO

Ofício da Palavra com Angélica Freitas

Local: Museu de Artes e Ofícios – Praça da Estação

Data: 29 de outubro, terça-feira, 19h30

Entrada franca

 

Assessoria de imprensa e comunicação

Conceito Comunicação Estratégica

Helen Murta/Tetê Procópio

(31) 3225-1888

conceito@conceitocomunicacao.com.br

Rua Alagoas, 1314, sala 408 – Savassi – BH