Ofício da Música recebe o grupo I Virtuosi di Minas

0 Comentários

03/11/2014 às 14:46

O Museu de Artes e Ofícios (MAO) recebe o grupo de música de câmara I Virtuosi di Minas, no projeto Ofício da Música, sob a curadoria de Poti Castro. O grupo surgiu no início de 2013, fundado pelo violinista Spalla da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Anthony Flint. O grupo apresenta-se principalmente como um sexteto de corda (dois violinos, duas violas e dois cellos), podendo incluir, em cada concerto, outras formações menores como duos, trios ou quartetos de cordas. Na apresentação a formação será a de quarteto de cordas com Anthony Flint, Rommel Fernandes, Roberto Papi e Eduardo Swerts, também membros da Orquestra Filarmônica. O evento ocorre no dia 11 de novembro, terça-feira, às 19h30, na sede do MAO, com entrada gratuita.

O repertório é variado conforme a composição dos elementos, os estilos musicais, abrangendo compositores do período Clássico, Romântico e Moderno que oferecem uma gama de sons e cores que não é sempre possível escutar numa formação orquestral. Para o Ofício da Música estão no repertório Ludwig van Beethoven (1770-1827); Trio de Cordas op. 9 n. 1 em Sol Maior; Adagio – Allegro con brio; Giacomo Puccini (1858-1924); Crisantemi, para quarteto de cordas; Felix Mendelssohn (1809-1847); Quarteto de cordas op. 44 n. 2 em mi menor; Allegro assai appassionato; Scherzo: Allegro di molto; Andante e Presto agitato.

 

Anthony Flint

Anthony Flint iniciou os estudos musicais na Inglaterra, sua terra natal. Completou a educação musical graduando-se pela Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, com os professores James Buswell, Larry Shapiro, Franco Gulli e Joseph Gingold. Liderou diversas orquestras no Canadá e nos Estados Unidos, incluindo a Radio Symphony de Toronto e a Orquestra de Chicago. Del 1989 a março de 2012, atuou como spalla da Orquestra della Svizzera Italiana, em Lugano, Suíça. Passou dez temporadas como spalla convidado da Orquestra da WDR em Colônia, Alemanha, e cinco temporadas como spalla convidado da Osesp. Apresentou-se como solista e músico de câmara com artistas como J.B. Pommier, B. Pasquier e Y. Bashmet. É violinista do Trio Ceresio, baseado na Suíça. Atualmente, é o spalla da Filarmônica de Minas Gerais.

Rommel Fernandes

Elogiado pela crítica especializada por sua execução soberba e musicalidade aristocrática, bem como por sua interpretação musical vibrante e modernista, porém elegante, Rommel Fernandes é o spalla associado da Filarmônica de Minas Gerais. Mestre e doutor em Música pela Northwestern University (EUA), aperfeiçoou-se ainda nos festivais de Tnaglewood e de Lucerna, na Suiça. Foi músico convidado das orquestras Sinfônicas de Boston e Chicago, membro da Chicago Civic Orchestra e professor na North Park University(EUA). Mineiro de Maria da Fé, iniciou seus estudos musicais no Conservatório de Pouso Alegre e concluiu bacharelado na Unesp, como aluno de Ayrton Pinto.  

 Roberto Papi

Antes de se dedicar à viola, Roberto Papi começou estudando violino, aos oito anos de idade, sob a orientação de Fabrizio Ammetto, em Spoleto, Itália. Depois de completar o Ensino Médio em seu país natal, mudou-se para os Estados Unidos, a fim de dar início aos seus estudos em viola. Graduou-se em Música pela Vanderbilt University, estudando com Kathryn Plummer, e obteve seu mestrado em Música pela Rice University, com James Dunham. Apresentou-se em festivais na Itália e nos Estados Unidos e foi integrante da New World Symphony, em Miami Beach, EUA. Atualmente, é o Assistente Chefe de Naipe das violas na Filarmônica de Minas Gerais.

Eduardo Swerts

Natural de Belo Horizonte, Eduardo graduou-se pela UEMG e concluiu o Mestrado, o Artist Diploma e o curso de Música de Câmara na Musikhochschule Münster e na Robert Schumman-Hochschule Düsseldorf, ambas na Alemanha. Seus orientadores foram Abel Moraes, Matias de Oliveira Pinto e Franziska Batzdorf. Integrou orquestras no Brasil, na Alemanha, no Festival delle Nazioni na Itália e, durante duas temporadas, foi chefe de naipe da Orquestra das Américas. Venceu o Concurso de Música de Câmara de Münster com a pianista Risa Adachi, apresentando-se na Alemanha, na Grécia e em Portugal, além da gravação e transmissão ao vivo do concerto pela rádio alemã WDR3. Lecionou na Staatliche Musikschule des Emslandes e na Musikschule Steinfurt. Foi também professor assistente de Matias de Oliveira Pinto na Academia da Musikhochschule Münster. Foi bolsista do KAAD e da fundação Yehudi Menuhin – Live Music Now. Em julho de 2012, passou a integrar a Filarmônica de Minas Gerais.

 

MAO

O projeto Ofício da Música tem o patrocínio da Gerdau e para manutenção de suas atividades, o Museu de Artes e Ofícios conta com o patrocínio máster da Oi, o patrocínio da Gerdau, Itaú, Cemig e o apoio do Instituto Oi Futuro, Hospital Mater Dei, CBMM, CBTU, CCR e Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, e com os benefícios das Leis Federal, Estadual e Municipal de Incentivo à Cultura.

 

Serviço:

Ofício da Música – I Virtuosi di Minas

Dia 11 de novembro, terça-feira, às 19h30

Local: Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro, Belo Horizonte).

Entrada gratuita

Sujeito à lotação – até 300 pessoas

Informações: 31 3248 8600

 

Serviço MAO:

Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro, Belo Horizonte)

Horários de Visitação:

Terça e sexta-feira, de 12h às 19h

Quarta-feira e quinta-feira, de 12h às 21hs – sendo de 17h às 21h, com entrada gratuita

Sábado, Domingo e Feriado, de 11h às 17h – sendo sábado com entrada gratuita

 

Valor da entrada: R$ 5,00, com meia entrada conforme a Lei.

Professores e estudantes tem entrada gratuita.

 

Assessoria de imprensa

Jozane Faleiro – jozane@ab.inf.br / (31) 9204.6367 / 3261.1501

 

 

Informações para a imprensa: Jozane Faleiro – jozane@inf.br – 31 920463