Ofício da Música recebe Dado Prates com o show “Chorando entre Amigos”

0 Comentários

30/06/2014 às 17:17

O Museu de Artes e Ofícios (MAO) recebe o flautista e saxofonista, Dado Prates no “Ofício da Música”, sob curadoria de Poti Castro, para um encontro que vai reunir no palco antigos amigos e parceiros do músico para o show “Chorando entre Amigos”. Trata-se de uma apresentação de Choro que Dado considera uma “volta às origens”, sonho antigo que os compromissos da carreira sempre foram adiando, mas que hoje tornou-se prioridade para o artista. O evento ocorre no dia 15 de julho, terça-feira, às 19h30, com entrada gratuita, no MAO – na Praça da Estação, Centro.

 

Para o show, Dado convidou Silvio Carlos (violão de 7 cordas, diretor musical do Grupo Flor de Abacate e integrante do Duo Treze Cordas), Carlos Walter (violão de 6 cordas, integrante do Duo Treze Cordas), Eduardo Macedo (cavaquinista, violonista e compositor, integrante dos grupos de choro Corta Jaca e Quatro na Roda), além de Ricardo Acácio (considerado, atualmente, um dos melhores pandeiristas do Brasil), Jonas Vitor (sax tenor, melhor instrumentista do Prêmio BDMG Cultural 2009) e Marcos Frederico (bandolim, vencedor por duas vezes do prêmio BDMG Instrumental, que trabalha com o grupo Siricotico, além de desenvolver intensa carreira solo). “Minha ideia, ao reunir estes músicos, é “recriar” o grupo de Pixinguinha e Benedito Lacerda, com seus belíssimos contrapontos entre flauta e saxofone, por exemplo, nas já famosas “Segura Ele” e “Cochichando”, como em outras menos conhecidas, como “Recordações”. Teremos momentos distintos, com duo de violões e bandolim dialogando com a flauta, por exemplo, em “Lídia’, de minha autoria”, adianta Dado Prates.

 

Dado Prates, natural de Belo Horizonte,  é saxofonista, flautista, arranjador e compositor. Começou como integrante da Orquestra Jovem do Palácio das Artes, venceu o Prêmio BDMG Instrumental em 2000 e ao se profissionalizar tocou e gravou com Milton Nascimento, Túlio Mourão, Paulinho Pedra Azul, Tunai, Tadeu Franco, Pena Branca e Xavantinho, Celso Moreira, Célio Balona e Chico Lobo, dentre outros grandes nomes. Morou por três anos na França, quando tocou na Orquestra do Hotel Méridien de Paris.

 

MAO

O projeto Ofício da Música tem o patrocínio da Gerdau e para manutenção de suas atividades, o Museu de Artes e Ofícios conta com o patrocínio máster da Oi, o patrocínio do Itaú e Cemig/Governo de Minas e o apoio do Instituto Oi Futuro, Hospital Mater Dei, CBMM, CBTU, CCR e Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, e com os benefícios das Leis Federal, Estadual e Municipal de Incentivo à Cultura.

 

 

Serviço Ofício da Música com Dado Prates

Dia 15 de julho, terça-feira, às 19h30

Local: Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro, Belo Horizonte).

Entrada gratuita

Sujeito à lotação – até 300 pessoas

              

Serviço MAO:

Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro, Belo Horizonte)

Horários de Visitação:

Terça e sexta-feira, de 12h às 19h

Quarta-feira e quinta-feira, de 12h às 21hs – sendo de 17h às 21h, com entrada gratuita

Sábado, Domingo e Feriado, de 11h às 17h – sendo sábado com entrada gratuita

Valor da entrada: R$ 5,00, com meia entrada conforme a Lei.

Professores e estudantes tem entrada gratuita.

Assessoria de imprensa Museu de Artes e Ofícios

Jozane Faleiro – (31) 3261.1501 / 9204.1837

 

Trata-se de uma apresentação de Choro que Dado considera uma “volta às origens”, sonho antigo que os compromissos da carreira sempre foram adiando, mas que hoje tornou-se prioridade para o artista. O evento ocorre no dia 15 de julho, terça-feira, às 19h30, com entrada gratuita, no MAO – na Praça da Estação, Centro.

Para o show, Dado convidou Silvio Carlos (violão de 7 cordas, diretor musical do Grupo Flor de Abacate e integrante do Duo Treze Cordas), Carlos Walter (violão de 6 cordas, integrante do Duo Treze Cordas), Eduardo Macedo (cavaquinista, violonista e compositor, integrante dos grupos de choro Corta Jaca e Quatro na Roda), além de Ricardo Acácio (considerado, atualmente, um dos melhores pandeiristas do Brasil), Jonas Vitor (sax tenor, melhor instrumentista do Prêmio BDMG Cultural 2009) e Marcos Frederico (bandolim, vencedor por duas vezes do prêmio BDMG Instrumental, que trabalha com o grupo Siricotico, além de desenvolver intensa carreira solo). “Minha ideia, ao reunir estes músicos, é “recriar” o grupo de Pixinguinha e Benedito Lacerda, com seus belíssimos contrapontos entre flauta e saxofone, por exemplo, nas já famosas “Segura Ele” e “Cochichando”, como em outras menos conhecidas, como “Recordações”. Teremos momentos distintos, com duo de violões e bandolim dialogando com a flauta, por exemplo, em “Lídia’, de minha autoria”, adianta Dado Prates.

Dado Prates, natural de Belo Horizonte,  é saxofonista, flautista, arranjador e compositor. Começou como integrante da Orquestra Jovem do Palácio das Artes, venceu o Prêmio BDMG Instrumental em 2000 e ao se profissionalizar tocou e gravou com Milton Nascimento, Túlio Mourão, Paulinho Pedra Azul, Tunai, Tadeu Franco, Pena Branca e Xavantinho, Celso Moreira, Célio Balona e Chico Lobo, dentre outros grandes nomes. Morou por três anos na França, quando tocou na Orquestra do Hotel Méridien de Paris.

MAO

O projeto Ofício da Música tem o patrocínio da Gerdau e para manutenção de suas atividades, o Museu de Artes e Ofícios conta com o patrocínio máster da Oi, o patrocínio do Itaú e Cemig/Governo de Minas e o apoio do Instituto Oi Futuro, Hospital Mater Dei, CBMM, CBTU, CCR e Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, e com os benefícios das Leis Federal, Estadual e Municipal de Incentivo à Cultura.

Serviço Ofício da Música com Dado Prates

Dia 15 de julho, terça-feira, às 19h30

Local: Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro, Belo Horizonte).

Entrada gratuita

Sujeito à lotação – até 300 pessoas

              

Serviço MAO:

Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro, Belo Horizonte)

Horários de Visitação:

Terça e sexta-feira, de 12h às 19h

Quarta-feira e quinta-feira, de 12h às 21hs – sendo de 17h às 21h, com entrada gratuita

Sábado, Domingo e Feriado, de 11h às 17h – sendo sábado com entrada gratuita

Valor da entrada: R$ 5,00, com meia entrada conforme a Lei.

Professores e estudantes tem entrada gratuita.

Assessoria de imprensa Museu de Artes e Ofícios

Jozane Faleiro – (31) 3261.1501 / 9204.1837