MAO TEM PROGRAMAÇÃO ESPECIAL PARA A 14ª SEMANA DE MUSEUS

0 Comentários

10/05/2016 às 15:34

Entre os dias 16 e 22 de maio, a 14ª Semana de Museus dá o tom da programação nos espaços que integram o Instituto Cultural Flávio Gutierrez, em Minas Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte; Museu de SantAna, em Tiradentes; e Museu do Oratório, em Ouro Preto. Esse é o período em que museus e outras instituições culturais de todo o País promovem, em parceria com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/Ministério da Cultura), eventos em torno de um mesmo tema: Museus e paisagens culturais.

Nos museus do Instituto Cultural Flávio Gutierrez, as atividades incluem rodas de conversa em edições especiais e itinerantes do Ampliando Horizontes, visitas mediadas, lançamento de cartilha, aula aberta do coral e manifestações culturais.

MUSEU DE ARTES E OFÍCIOS

Faça sua inscrição pelo link: http://goo.gl/forms/4DBhFvZ6TA

Endereço:  Praça Rui Barbosa, 600 – Centro, Belo Horizonte/MG

Data: 17 de maio – terça-feira

Horário: 19h30

Roda de Conversa: Ampliando Horizontes apresenta “Olhares do patrimônio: a valorização do trabalho a e preservação do patrimônio cultural através da fotografia”, premiado no VI Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus.

Convidado: professor Alberto Henrique Ferreira Cunha, da Secretaria de Educação da Prefeitura de Belo Horizonte. Atua na área de formação de professores da Rede Municipal no campo do uso de novas mídias na educação, além de ser fotógrafo. Participou da formação de professores e monitores da Escola Integrada, em parceria com o BH para Crianças, no desenvolvimento do Projeto “Um olhar, uma luz”.

Data: 17 a 22 de maio

Horário: 14h às 16h

Visitas Mediadas (31 visitas)

Os visitantes serão instigados a conhecerem a temática dos ofícios, por meio de uma exploração intensa do acervo fotográfico disposto nas galerias, levantando hipóteses e reflexões a respeito de seu potencial conceitual, ético e estético. Utilizando o celular, os visitantes serão incentivados, ainda, a registrar momentos ou fragmentos relacionados às atividades e práticas formais e não formais de trabalho do mundo contemporâneo, bem como registros do patrimônio material e imaterial, tombados ou não, e que compreendam a sua realidade individual ou da comunidade na qual ele se insere.