MAO realiza atividade inclusiva, com sessão de leitura do livro “ABC do Museu”

0 Comentários

12/11/2015 às 18:05

O Museu de Artes e Ofícios (MAO) dá continuidade às suas ações inclusivas,  realizando, em parceria com a Fundação Municipal de Cultura  e Biblioteca Estadual Luiz de Bessa, o evento “Caminhos Inclusivos no MAO, com uma sessão de leitura do livro “ABC do Museu”, contando com a participação da autora Soraia Vasconcelos em tarde de autógrafos seguida de uma visita mediada a alguns ofícios apresentados pelo MAO, no dia 28 de novembro, sábado, às 14h. O objetivo da parceria é unir esforços para proporcionar atividades de inclusão para públicos especiais.

O livro apresenta para cada letra do alfabeto um pequeno texto e faz referência às peças em exposição, aos ofícios, explorando o rico acervo do MAO. O livro foi idealizado de forma a contribuir para o conhecimento do Brasil pré-industrial e para a reflexão sobre questões ligadas ao patrimônio e à conservação. As ilustrações são de estudantes que participaram de visitas mediadas ao Museu, em atividades escolares, durante o ano de 2013. E, visando contribuir para a acessibilidade, compromisso do Museu de Artes e Ofícios, o livro que vem acompanhado de um CD com leitura dos textos feita por Angela Gutierrez, colecionadora que formou o acervo do MAO.

O Link para fazer sua inscrição é: http://goo.gl/forms/mfESR5FsnT

Total acessibilidade

Atualmente, o Museu de Artes e Ofícios conta com educador fluente em Libras e, desde junho de 2013, recebe, regularmente, os alunos da Escola Estadual Francisco Sales, referência no atendimento ao público surdo da cidade de Belo Horizonte e região metropolitana. Desde a sua fundação, em 2006, o Museu de Artes e Ofícios está preparado para receber de forma inclusiva o deficiente físico. O projeto original traz todos os recursos que permitem a acessibilidade total para cadeirantes, com rampas e elevadores; educadores para atender aos deficientes auditivos e equipamentos em audiovisual para melhor orientação dos cegos. Para atender de forma mais eficiente este último público, de deficientes visuais, o MAO realizou em 2008 uma parceria com o Instituto São Rafael, entidade educacional que atende cegos, atuando em sua habilitação e reabilitação.

O MAO também oferece aos visitantes 30 aparelhos de audioguias, em cinco línguas – português, inglês, francês, espanhol e Libras (Língua Brasileira de Sinais) – que visam apresentar os conteúdos do Museu, de forma interativa. Trata-se de um multimídia individual que, por meio de áudios, vídeos e fotos, mostram o acervo, e que, em alguns momentos, é apresentado pela própria colecionadora, a presidente do Instituto Cultural Flavio Gutierrez (ICFG), mantenedor do MAO, Angela Gutierrez. A iniciativa permite a brasileiros e estrangeiros uma visita individualizada com mais conteúdo, incluindo curiosidades e informações adicionais diferenciadas. Os aparelhos também são oferecidos aos visitantes com deficiência auditiva e visual. Essa iniciativa também confirma o compromisso do ICFG com a total acessibilidade dos visitantes, já que são oferecidos aparelhos adaptados para os deficientes.

O MAO é composto por um acervo de 2.500 peças, objetos e ferramentas de trabalho dos séculos XVIII ao XX que contam a história do trabalho do período pré-industrial brasileiro. Esse acervo, doado ao Patrimônio da União, está dividido em 14 conjuntos de ofícios.

 

Serviço:

“Caminhos da acessibilidade no MAO” – sessão de leitura do livro “ABC do Museu”, com a autora Soraia Vasconcelos, visita mediada ao acervo e tarde de autógrafos

Dia 28 de novembro, sábado, às 14h

Local: Museu de Artes e Ofícios – Praça da Estação, 600, Centro/BH