MAO amplia suas Ações Inclusivas junto à população Surda

0 Comentários

09/12/2013 às 17:11

O Museu de Artes e Ofícios (MAO) amplia as suas ações educativas, dando início ao curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras), destinado a 20 colaboradores da sua equipe, de diferentes setores que atuam diretamente com o atendimento e recepção do público. O programa consta de 60 horas de formação básica para garantir melhor acolhimento aos surdos, a serem ministradas até maio de 2014 por um profissional da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos – FENEIS, entidade que representa as pessoas surdas, tendo caráter educacional, assistencial e sócio cultural. A primeira aula ocorre no dia 9 de dezembro, às 13horas, na sede do museu, localizado na Praça da Estação.

 

Atualmente, o MAO conta com dois educadores fluentes em Libras e, desde junho de 2013, recebe, regularmente, os alunos da Escola Estadual Francisco Sales, referência no atendimento ao público surdo da cidade de Belo Horizonte e região metropolitana. “O MAO possui o compromisso com a democratização de acesso aos bens culturais que o compõem. Hoje, o museu encontra-se completamente adaptado e recebe todos os tipos de públicos. Cegos, surdos e pessoas com dificuldades de locomoção têm acesso qualificado ao Museu. Nosso objetivo com essa ampliação de habilidades de nossos colaboradores é, também, ampliar o número de grupos de outras instituições que recebem alunos com alguma deficiência, além do atendimento sistemático aos grupos de cegos do Instituto São Rafael, que ocorre há cinco anos; e aos grupos de surdos, parceria mais recente com a Escola Estadual Francisco Sales”, destaca Naila Mourthé, coordenadora do setor Educativo.

 

Segundo dados do IBGE, o Brasil possui 9.722.163 pessoas com deficiência auditiva. Denomina-se deficiência auditiva a diminuição da capacidade de percepção normal dos sons, sendo considerado surdo o indivíduo cuja audição não é funcional na vida comum, e, parcialmente surdo, aquele cuja audição, ainda que deficiente, é funcional com ou sem prótese auditiva.

Dessa forma, com o atendimento em Libras, o MAO pretende cada vez mais contribuir para a formação cultural e intelectual desse público, historicamente excluído.

 

Acessibilidade do MAO

Desde a sua fundação, em 2006, o Museu de Artes e Ofícios (MAO) está preparado para receber de forma inclusiva o deficiente físico. O projeto original traz todos os recursos que permitem a acessibilidade total para cadeirantes, com rampas e elevadores; educadores para atender aos deficientes auditivos e equipamentos em audiovisual para melhor orientação dos cegos. Para atender de forma mais eficiente este último público, de deficientes visuais, o MAO realizou em 2008 uma parceria com o Instituto São Rafael, entidade educacional que atende em média a 600 cegos, atuado em sua habilitação e reabilitação.

 

Reconhecimento

A total acessibilidade do Museu de Artes e Ofícios de Belo Horizonte já está entre os pontos turísticos aptos para receber turistas na Copa de 2014. Em maio de 2010, a coordenadora do projeto Novos Rumos, do Instituto Muito Especial, do Rio de Janeiro, Thelma Vidales, que visitou a capital mineira para traçar um diagnóstico e apontar soluções para a comissão técnica do campeonato de 2014 considerou o MAO “o melhor entre todas as capitais que visitamos. Tem acessibilidade para qualquer tipo de deficiente, incluindo intérpretes de libras, que é mais raro”, declarou para a imprensa em maio de 2010.

 

 

 

MAO

Para manutenção de suas atividades, o Museu de Artes e Ofícios conta com o patrocínio máster da Oi, o patrocínio do Itaú e Cemig/Governo de Minas e o apoio do Instituto Oi Futuro, Hospital Mater Dei, CBMM, CBTU, CCR e Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, e com os benefícios das Leis Federal, Estadual e Municipal de Incentivo à Cultura.

 

 

Serviço MAO:

Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro, Belo Horizonte)

Horários de Visitação:

Terça e sexta-feira, de 12h às 19h

Quarta-feira e quinta-feira, de 12h às 21hs – sendo de 17h às 21h, com entrada gratuita

Sábado, Domingo e Feriado, de 11h às 17h – sendo sábado com entrada gratuita

Valor da entrada: R$ 5,00, com meia entrada conforme a Lei.

Professores e estudantes tem entrada gratuita.

 

Assessoria de imprensa Museu de Artes e Ofícios

Jozane Faleiro – (31) 3261.1501 / 9204.1837